10 Perguntas que a mulher não deve ter vergonha de fazer ao seu ginecologista

Mesmo que alguns assuntos possam parecer embaraçosos é importante que você receba respostas de uma fonte confiável, isso pode melhorar a saúde e a vida sexual

Antes de mais nada é preciso frisar que as consultas periódicas com um ou uma ginecologista são fundamentais para as mulheres. Nesse momento é necessário se encorajar e perguntar ou falar a respeito de todos os assuntos que possam afetar sua autoestima, sua vida sexual, as dúvidas sobre a aparência das partes íntimas ou qualquer outro tema, com a certeza de que terá as respostas de fontes confiáveis e profissionais. Provavelmente não há nada que os ginecologistas ainda não tenham ouvido ou que considerem embaraçoso falar, e se você fizer a pergunta para saber dos seus hábitos e das suas dúvidas fará com que sua a consulta e acompanhamento sejam ainda melhores. Veja alguns exemplos de perguntas que você não deve ter vergonha de fazer na hora da consulta:

1. Minha genitália é normal?

É importante saber que há um padrão normal para a região íntima mas cada mulher tem alguma peculiaridade que é exclusivamente sua, uma não se parece com a outra. Porém essas diferenças que vão desde o tamanho dos lábios até a proeminência do clitóris e a tonalidade da pele, podem parecer “anormais” para cada mulher e muito provavelmente apenas a própria pessoa perceba o que diz ser diferente. Então, se isso te incomoda, é importante perguntar e se houver algum problema na saúde íntima o seu médico poderá esclarecer.
 

2. O que é essa irritação?

Algumas mulheres apresentam irritações na pele que são intermitentes, ou seja, vão e voltam, e elas podem aparecer tanto na região da vulva ou da virilha, mas não é preciso entrar em pânico. Existem diferentes razões para que isso aconteça, como o método usado na depilação, o contato com diferentes tipos de tecidos das roupas, pode ainda ser  algum tipo de infecção intermitente, por essa razão é importante prestar atenção sempre que algo surgir, observar se está incomodando, se dói, se parece algo incomum. Nesse caso mostre para seu ginecologista para que ele possa avaliar e te orientar adequadamente.
 

3. Corrimento constante é normal?

A secreção na região íntima é uma parte normal da saúde reprodutiva. Mas, em alguns casos, pode indicar problemas mais sérios, especialmente se estiver causando ardor, coceira, odor forte ou desconforto. Por isso é necessário fazer exames específicos, para ter certeza do que se trata e cuidar da forma correta.
 

4. É normal ter odor na região íntima?

Sim, de uma forma geral, é normal e não precisa se preocupar. Durante o período menstrual ou depois de praticar atividades físicas de forma intensa, esse odor pode se intensificar. Mas, é passageiro e melhora com a higiene íntima, mas se for constante e não melhora ou causa desconforto ou baixa autoestima é o caso de procurar um médico para avaliar melhor.
 

5. É normal urinar quando estou rindo muito ou tossindo?

Muitas mulheres relatam ter um escape na urina quando estão rindo ou tossindo demais. Isso é comum naquelas que deram à luz recentemente, mas também pode acontecer com mulheres sem filhos. Mas se te incomodar ou acontecer com muita frequência ou numa quantidade maior é preciso falar com seu médico pois pode ser sinal de incontinência urinária e indicar necessidade de algum tratamento.
 

6. É normal ter dor nas relações sexuais?

Nunca tenha medo de falar com o ginecologista sobre dor durante o sexo, pois as relações devem ser prazerosas, não dolorosas. Fazer uma avaliação para ver o que está acontecendo é essencial para identificar a causa e encontrar uma solução e tornar o sexo um momento mais confortável.
 

7. Será que eu tenho uma DST?

Muitas mulheres ficam preocupadas em saber se adquiriram alguma doença sexualmente transmissível (DST), e expressam o desejo de fazer exames para terem certeza já que nem sempre há mudanças visíveis no corpo. O importante é conhecer o histórico sexual de cada pessoa e fazer uma avaliação laboratorial. Mas vale sempre lembrar também que o uso do preservativo é essencial para a proteção da mulher e dos parceiros e das parceiras.
 

8. Posso praticar esportes durante a gravidez?

Minha orientação em geral é que sim, desde que a mulher já faça algum esporte antes mesmo da gestação, pois seu organismo já está adaptado para isso. Mas tudo vai depender de haver ou não problemas que impeçam a prática. Outra coisa é observar as possíveis limitações que possam aparecer com a evolução da gravidez e portanto tomar cuidado com movimentos bruscos que podem causar lesões articulares ou impactos fortes no abdome. Caso você nunca tenha praticado esportes e seu desejo apareceu junto com a gravidez, eu sugiro que deixe para após o nascimento, pois o organismo da mulher sofre alterações importantes, porém você pode fazer exercícios de baixo impacto que te preparem para o momento do parto.
 

9. Relações íntimas durante a gravidez são prejudiciais?

De uma maneira geral, a vida íntima pode ser mantida até o final da gestação, desde que não haja algum impedimento que a coloque em risco como ameaça de abortamento ou rotura da bolsa amniótica etc. Se você tiver dúvida nunca tenha vergonha de perguntar isto ao seu médico.
 

10. Bebidas alcoólicas durante a gravidez são permitidas?

Não existe uma quantidade de bebida alcoólica que possa ser considerada segura durante a gravidez. Portanto é importante suspender a ingesta de álcool mesmo que em pequenas doses até o final da gestação.

Há mais de 38 anos atuando na área de Ginecologia e Obstetrícia, atendendo na região da Mooca, , próximo ao Hospital São Cristóvão. O consultório realiza o atendimento de consultas particulares, e planos de saúde credenciados.
  • Facebook
  • Instagram

Rua Barretos, 76 - Alto da Mooca - São Paulo/SP 03184-080

011-2601-5704  |  011-2601-2996

©    Dra. Carmela Romano |  by americannews